Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Alto preço de energia pode fechar fábricas no Nordeste

3 de junho de 2014
Compartilhe nas Redes Sociais

A crise energética, que fez os preços da energia elétrica dispararem, está perto de provocar o fechamento de fábricas no Nordeste. Sete empresas instaladas na Bahia, em Alagoas e em Pernambuco podem fechar as portas caso contratos antigos com a Chesf, geradora da Eletrobras no Nordeste, não sejam renovados. Esses contratos de fornecimento, que vencem em junho de 2015, possuem valor de R$ 110 por megawatt-hora (MWh) --muito abaixo do cobrado no mercado.

Atualmente, os preços de contratos semelhantes partem de R$ 300 por MWh. As companhias são Braskem, Caraíba, Dow Química, Ferbasa, Gerdau, Paranapanema e Vale e empregam diretamente 7.000 pessoas. Os contratos representam 12% da capacidade de geração da Chesf. Caso eles se encerrem, essa energia será disponibilizada no mercado regulado e usada para baixar os preços da energia em residências e indústrias menores. Para renovar, a Chesf pede que sejam revistos os preços, o que vai contra o interesse das indústrias.


Braskem em Alagoas 
Os senadores Walter Pinheiro (PT-BA) e Romero Jucá (PMDB-RR) tentam aprovar uma emenda na medida provisória 641. O texto livra a Chesf da responsabilidade de alocar a energia no mercado regulado e permitir a negociação de preços. Mas Pinheiro diz que é a presidente Dilma Rousseff quem definirá a extensão ou não dos contratos. "A negociação verdadeira é com o Executivo. Mandamos proposta, mas ainda não tivemos retorno", diz. A incerteza com a prorrogação já fez com que a produção na região caísse. No primeiro trimestre, essas empresas receberam R$ 72 milhões por vender energia excedente no mercado de curto prazo, em que podem vender sem contrato e os preços são mais altos.

Unidades podem ser fechadas, como a da Braskem em Alagoas e a da Gerdau em Pernambuco, dizem fontes próximas do assunto. "A energia é requisito primordial para a competitividade", diz a Braskem. "Uma não renovação poderá trazer uma significativa perda de competitividade nas usinas da Gerdau na Bahia e em Pernambuco", afirma a Gerdau em nota. As outras empresas preferiram não se pronunciar. A Chesf e o Ministério de Minas e Energia não responderam até o fechamento desta edição.  (Fonte: Folha de São Paulo)

3º Prêmio de Inovação e Sustentabilidade PSPatrocinador Diamante

Assine a nossa Newsletter:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Criação de sites: Conectado
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram