Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

ABIEF: livro e Gustavo Loyola marcam evento de fim de ano

8 de dezembro de 2014
Compartilhe nas Redes Sociais

Três bons motivos levaram a ABIEF- Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Plásticas Flexíveis a realizar um Jantar Especial de Final de Ano no restaurante Dalva & Dito, em São Paulo, com cardápio assinado pelo renomado chef Alex Atala: ouvir as previsões do economista e Presidente do Banco Central em duas ocasiões, Gustavo Loyola; lançar a obra literária que conta os 35 anos da Associação em paralelo com o desenvolvimento do próprio setor e, claro, confraternizar com os associados. Com a presença de 60 empresários, as missões foram cumpridas com êxito neste início de dezembro.

Bem mais brando do que se poderia imaginar, Loyola concluiu sua apresentação garantindo que o Brasil não está em recessão. “O cenário é, sem dúvida, de desafios e os três principais fatores de risco/dúvidas são a retração cada vez maior do crescimento da China (previsão de 4% a 6,5% em 2015), a possível retirada de estímulos dada à economia dos EUA após a crise de 2008 e a permanência da Europa na UTI, com uma recuperação bem mais lenta que a dos EUA.

Com base neste cenário, o economista prevê que o crescimento da economia global ficará ao redor dos 3,7%. Já o Brasil deverá crescer 0,2% em 2014; a média de crescimento nos últimos quatro anos foi de 1,6% contra 4% de média dos demais países latino-americanos. Por quê? “O governo errou ao achar que crescimento se faz com crescimento de consumo, estimulando o crédito. Com isso “jogou fora” o tripé da macro economia: câmbio flutuante, meta de inflação de 4,5% e responsabilidade fiscal”.”

Por isso, Loyola também descreve o momento como “de juntar os cacos”. “Aparentemente a presidente Dilma esqueceu que poderia ser reeleita e agora terá que voltar atrás e colocar em prática medidas que criticara durante a campanha à reeleição.” Com isso, 2015 tende a ser um ano difícil visto que os ajustes serão feitos nos próximos dois anos; o problema é que ainda não há uma agenda francamente reformista que melhore o ambiente negativo que persiste hoje no Brasil.

A previsão é que o país cresça 1% em 2015 com certa recuperação da indústria principalmente do setor extrativista. A inflação deverá ficar entre 6,3% e 6,5% e o câmbio estará mais depreciado que o de 2014, girando ao redor de RS$ 2,60. “Ou seja, o crescimento será baixo, mas estamos longe de uma crise”, tranqüilizou o economista. Ainda como parte da programação do jantar da ABIEF, o presidente da entidade, empresário Sergio Carneiro, homenageou os antigos Presidentes presentes - Israel Sverner, Leonidas Alperowitch, Alfredo Schmitt e Rogério Mani – com um exemplar do Livro ABIEF 35 anos. Outra homenageada da noite foi a Assessora da Diretoria, Esmeralda Frias, que atua há mais de 20 anos na entidade.

Além dos empresários, associados e parceiros da ABIEF, estiveram presentes ao evento Luciano Guidolin, responsável pela Unidade Poliolefinas, Comperj e Renováveis da Braskem; Edison Terra, diretor de Polietilenos da Braskem; Salomão Gorenzvaig da Packtec, Jacques Sierkieski da Brampac e José Ricardo Roriz, presidente da Abiplast. (Por Liliam Benzi, atua no mercado de embalagens há 24 anos como especialista em comunicação e desenvolvimento de negócios e estratégias para o setor pela LDB Comunicação Empresarial)

3º Prêmio de Inovação e Sustentabilidade PSPatrocinador Diamante

Assine a nossa Newsletter:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Criação de sites: Conectado
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram