Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Por Angelo Ambrizzi

A tributação sobre o consumo no Brasil, sabidamente, é das mais elevadas do mundo, o que infla os preços dos mais variados produtos e prejudica o desenvolvimento da indústria e do comércio. Com o setor de plásticos, não seria diferente.

O segmento, que, além de enfrentar desafios macroeconômicos, como a inflação global, elevação de juros e recessão em geral, precisa arcar com variados tributos incidentes sobre as vendas e a excessiva burocracia tributária existente no país.

A redução nas alíquotas do IPI implementadas pelo Governo Federal, que inicialmente causaram um ânimo geral na indústria, foram suspensas pelo Supremo Tribunal Federal, em ação que visa proteger os interesses das empresas instaladas na Zona Franca de Manaus.

A decisão, além de gerar diversas dúvidas no setor pela dificuldade prática de implementação, em razão da inexistência de uma lista oficial de produtos produzidos na Zona Franca, causou um aumento considerável na tributação.

Recentemente, a Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), enviou uma carta ao STF pedindo que a suspensão da redução do IPI fosse reconsiderada, mas, até o momento, não há prazo definido para o julgamento definitivo da questão. E, diante desse cenário, é essencial que o empresário reavale todas as implicações tributárias de sua operação.

A complexidade da tributação no Brasil acaba abrindo portas para questionamentos judiciais ou administrativos sobre determinados tributos, revisão da carga tributária por meio de regimes especiais ou mesmo do modelo operacional adotado pela empresa, dentre outras medidas que podem aliviar a carga fiscal, aumentando a competitividade.

A análise e revisão estratégica da tributação incidente nas operações do contribuinte, desde os créditos tomados de ICMS, PIS/COFINS, IPI, tributação sobre a folha de pagamentos e cálculo dos tributos incidentes nas operações de venda, assume papel de extrema relevância na construção de vantagem competitiva.

A falta de inteligência fiscal implica num aumento excessivo da carga tributária e achatamento da margem do empresário. Nesse contexto, é de suma importância contar com uma assessoria especializada, atenta às mudanças legislativas e decisões judiciais/administrativas para que se alcance um nível de carga tributária adequado ao planejamento financeiro do contribuinte.

Angelo Ambrizzi é advogado especialista em Direito Tributário pelo IBET, APET e FGV com Extensão em Finanças pela Saint Paul e em Turnaround pelo Insper e Líder da área tributária do Marcos Martins Advogados.

Especial: Feira Interplast: lançamentos dos expositores, novidades da Feira e eventos paralelos

Destaque: Moldes e periféricos no foco

Clique aqui e acesse a edição na íntegra!

Empresa produtora de compostos de PVC sediada em Araquari (SC) expande espaço fabril com o objetivo de equipar o processo com tecnologia avançada e automação do processo produtivo, buscando consolidar a marca e produto junto ao mercado nacional

A CCP Indústria e Comércio de Compostos de PVC LTDA (https://www.ccp.ind.br), empresa fundada em 2006, localizada em Araquari-SC, tem como objeto social industrialização de compostos de PVC voltados para indústria e comércio do setor de plástico.

Com foco na constante necessidade do cliente, qualidade do produto e agilidade de atendimento, conquistou espaço no mercado local e nacional, consolidando como um dos principais fornecedores de compostos de PVC a nível nacional. Como consequência, houve a necessidade de expansão de sua linha produtiva, chegando a ampliar o parque industrial no limite da capacidade de instalações local.

Buscando sempre a melhora constante na qualidade de processo, conta com laboratório próprio de análise de produto, equipado com os mais sofisticados equipamentos do mercado internacional. Não menos importante, procura qualificar seus colaboradores, para que estejam à frente da necessidade do cliente e mercado.

Tendo como limite de crescimento o local físico, em 2017, adquiriu imóvel localizado na BR-280 (Araquari-SC), com aproximadamente 27.000 m², com a perspectiva de construção de uma unidade nova, com um parque industrial projetado para atender a demanda com a qualidade e velocidade que o mercado exige.

Em 2019, após vários estudos e análises, foi concluído o projeto e iniciado a construção de uma nova CCP, com o objetivo de equipar o processo com tecnologia avançada e automação do processo produtivo, buscando consolidar a marca e produto junto ao mercado nacional.

Em fase de execução da nova unidade, foi projetado mais de 11.000m² de área a ser construída, com todo o sistema de captação e aproveitamento de água, além de aproveitamento de energia solar; ETE; customização da produção; utilização da gravidade como maneira de economia energética, fazem com que o novo parque industrial esteja alinhado com a constante preocupação e equilíbrio de desenvolvimento sem prejudicar o meio ambiente. 

Equipamentos importados e automação do processo PMP, com instalações e utilização de painéis fotovoltaicos fazem com que a economia de energia no processo industrial seja uma realidade. Tudo voltado para que o desenvolvimento esteja aliado ao meio ambiente.

Em fase de execução da nova unidade, foi projetado mais de 11.000m² de área a ser construída
Em fase de execução da nova unidade, foi projetado mais de 11.000m² de área a ser construída

A busca constante por atender as necessidades dos clientes e a qualificação dos colaboradores é imprescindível para o sucesso do grupo CCP, todo o projeto está em desenvolvimento e execução. Constantes adequações e vistorias junto às instalações, fazem com que a segurança do trabalho seja rigorosa, o que influenciará diretamente na qualidade do ambiente de trabalho, uma constante preocupação por parte do grupo CCP.

Por fim, e não menos importante, a trajetória do grupo CCP, reflete aos sócios fundadores a vontade constante de desenvolvimento pessoal e interpessoal, na busca incansável de satisfação do cliente e mercado. Somos agradecidos de fazermos parte deste momento, deste grupo, aprendemos e ensinamos, em uma dinâmica diária e permanente. Somos CCP.

A Naturalis, marca de alimentos Super Premium natural para pets do Grupo ADM, está há 12 anos no mercado com produtos no ramo de nutrição animal. Atenta não só com o bem-estar dos pets, mas também com o cuidado de todo o meio ambiente, agora a marca conta com embalagens 100% recicláveis, atestadas pelo selo “Reciclo do Bem”.

A tecnologia empregada na produção das embalagens é exclusiva da empresa e trata-se de uma junção dos materiais PEBD/PEBDL/PEAD, que criam alta barreira à umidade, ao oxigênio e à gordura, além de serem totalmente reaproveitáveis. Conforme informações da empresa, o selo “Reciclo do Bem” comprova a segurança, a qualidade do produto e sua responsabilidade ambiental. O descarte pode ser feito em pontos de coleta seletiva, indicados para os resíduos de plástico.

Os produtos Naturalis podem ser encontrados nos principais pet shops, clínicas veterinárias e lojas on-line do Brasil.

Cerimônia híbrida aconteceu na noite de terça-feira, 09 de novembro, e premiou os cases destaques de 2021

Reconhecido nacionalmente por destacar projetos, produtos e ações que desenvolvem  inovação e sustentabilidade o Prêmio Plástico Sul realizou a grande final no último dia nove, com a apresentação dos cases vencedores na cidade de Caxias de Sul (RS). Os trabalhos vencedores mostraram na prática como a aplicação de tecnologias e valores circulares estão contribuindo com o desenvolvimento da indústria do plástico.

O evento foi marcado pela presença de importantes personalidades como a vice-prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris, do Secretário Municipal do Meio Ambiente, João Osório Martins, do Presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) Gelson Oliveira, do Presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS), Gerson Hass entre outras autoridades.

Em sua segunda edição, o Prêmio Plástico Sul é realizado exclusivamente através de inscrições de cases com valores sustentáveis e inovadores em 10 categorias. Os trabalhos foram avaliados de forma detalhada por sete jurados experientes na cadeia produtiva do plástico e no universo acadêmico, dentro de critérios estabelecidos pela empresa responsável pela pesquisa e curadoria do Prêmio, Maxiquim. Neste ano, a grande novidade é que o prêmio foi aberto para participação de todas as empresas da cadeia produtiva: transformadores, fornecedores e indústrias de reciclagem. Após uma disputa acirrada nas apresentações dos cases, um time qualificado de jurados, deu suas notas e escolheu empresas vencedoras nas 10 categorias apresentadas.

O Prêmio Plástico Sul de Inovação e Sustentabilidade tem apoio da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Flexíveis (ABIEF), Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira de Biopolímeros Compostáveis e Compostagem (ABICOM), Plastivida, Instituto Brasileiro do PVC, Instituto Nacional do Plástico, Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins (Adirplast), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás-RS), Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS), Sindicato da Indústria de Material Plástico de Santa Catarina (Simpesc), Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado do Paraná (Simpep), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi).

A premiação conta ainda com o patrocínio Diamante da Braskem e Clean Plastic; patrocínio Ouro ENTEC Polymers, Plastiweber e Grupo Wortex; e patrocínio Prata da Activas, Advanced Polymers, Aluminiplast, Cromex, Deink, GreenMaster, Mais Polímeros, Piramidal, Plasticor, Replas, Rulli Standard, Sicredi e Termocolor. O apoio especial deste ano é da Interplast 2022, Sebrae, Rocaal, Termotécnica e Therpol.

O Prêmio Plástico Sul de Inovação & Sustentabilidade é uma realização da Revista Plástico Sul. A Organização da edição de 2021 é do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás).

Conheça os vencedores:

Sustentabilidade

Produção Limpa:

1º lugar: CLEAN PLASTIC

2º lugar: UNIPAC

3º lugar: PLASTIWEBER

Logística Reversa:

1º lugar Transformador: TERMOTÉCNICA

1º Lugar Fornecedor: CROMEX

2º lugar: PROQUITEC

3º lugar: NILTEX

Compromisso Social:

1º lugar Transformador: CRISTALCOPO

1º lugar Fornecedor: PLASTIWEBER

2º lugar: TERMOCOLOR

3º lugar: BELLAFORMA

Conteúdo Reciclado:

1º lugar Indústria de Reciclagem: PLASTIWBEBER

1º lugar Transformador: GRENDENE

1º lugar Fornecedor: PROQUITEC

2º lugar: DEINK

3º lugar: LORD

Novos aditivos ou biomateriais

1º lugar Fornecedor: RESBRASIL

1º lugar Transformador: TERMOTÉCNICA

2º lugar: ERT

3º lugar: COLORIFX

Gestão Sustentável

1º lugar Indústria de Reciclagem: JBS Ambiental

1º lugar Fornecedor: ACTIVAS

2º lugar:CROMEX

3º lugar: EMBAQUIM

Inovação

Embalagens Inteligentes:

1º lugar: UNIPAC

2º lugar: TERMOTÉCNICA

3º lugar: PLASZOM

Extrusão:

1º lugar: C-PACK

2º lugar: SULPET

3º lugar:  TELHAS TELITE

Sopro:

1º lugar: UNIPAC

2º lugar: EMBAQUIM

Injeção:

1º lugar: DZAINER

2º lugar: ACTIVAS

3º lugar: PROQUITEC

FOTOS PPS 2021:

Melina Gonçalves, editora da Plástico Sul, dando as boas-vindas e realizando a abertura do evento
Vice-Prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris
Maurício Jaroski, da Maxiquim, empresa curadora do Prêmio
Gelson Oliveira, presidente do Simplás, entrega o troféu Compromisso Social Indústria de Reciclagem à Plastiweber
Entrega do Troféu Compromisso Social Transformador à Cristalcopo
Entrega do troféu à Plastiweber, vencedora em Produto com Conteúdo Reciclado - Indústria de Reciclagem
Entrega do troféu ao primeiro lugar em Produto com Conteúdo Reciclado - Fornecedor, à Proquitec
Fábio Koutchin, da Piramidal, entrega o troféu à Grendene, que ficou em 1º lugar em Produto com Conteúdo Reciclado Transformador
Wilson Cataldi, diretor da Piramidal, em participação online
Melina Gonçalves entrega o troféu da categoria Logística Reversa Fornecedor à Cromex
Albano Schmidt, Presidente da Termotécnica, recebe simbólicamente congratulação em sua participação online
Sr. Amilton Mainard, presidente da CSMAIP da Abimaq, entrega a congratulação à Clean Plastic, vencedora na categoria Produção Limpa
Luiz Henrique Hartmann, representando o Sinplast-RS, entrega o troféu de Gestão Sustentável Fornecedor à Activas
Hartmann entrega o troféu ao 1º lugar em Gestão Sustentável Indústria de Reciclagem à JBS Ambiental
Entrega simbólica à categoria Novos Aditivos ou Biomateriais de forma online à Resbrasil
Em Novos aditivos ou Biomateriais Transformador, Melina Gonçalves faz a entrega simbólica à Termotécnica
Paulo Pupo, da Braskem, anuncia de forma online o vencedor na categoria Embalagens Inteligentes, Unipac
Participações presenciais restritas e mantendo o distanciamento necessário, assistindo a Braskem anunciar o vencedor Unipac
Presidente da Adirplast entrega simbólicamente o troféu à C-Pack, pela conquinsta do 1º lugar em Inovação Extrusão
Diretor da Entec Polymers, Osvaldo Cruz, entrega o troféu da categoria Inovação Injeção à Dzainer
Diretor da Clean Plastic, Jadir Voltoline Júnior, entrega o troféu de forma simbólica à Unipac na categoria Inovação Sopro
CEO da Proquitec sorteia na roleta virtual os ganhadores das sandálias Therpol
Daniela Camargo, do Simplás, auxilia o diretor da Messe Brasil, Richard Spirandelli, a sortear as hospedagens para o período da Feira Interplast 2022
Tiago Zorzo, da Termocolor, girando a roleta para ver quem ganha o iPhone 12!
O ganhador do iPhone no telão!
Os vencedores de 2021 com as diretoras da Plástico Sul, Sílvia Viale e Melina Gonçalves
Representantes do Simplás, Sinplast e Plástico Sul, com a Vice-Prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris

E tem mais! Confira:

Reconhecido nacionalmente por destacar projetos, produtos e ações que desenvolvem  inovação e sustentabilidade, o Prêmio Plástico Sul realizou a grande final no último dia 09 de novembro, com a apresentação dos cases vencedores em evento híbrido na cidade de Caxias de Sul (RS). Os trabalhos vencedores mostraram na prática como a aplicação de tecnologias e valores circulares estão contribuindo com o desenvolvimento da indústria do plástico.

O evento foi marcado pela presença de importantes personalidades como a vice-prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris, do Secretário Municipal do Meio Ambiente, João Osório Martins, do Presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás) Gelson Oliveira, do Presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS), Gerson Hass, o presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Acessórios para a Indústria do Plástico (CSMAIP), Amilton Mainard, entre outras autoridades. Também participaram de forma online o membro da atual diretoria do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Paraná (Simpep), Marcelo Prevideli e o Presidente do Sindicato das Indústrias de Material Plástico de Santa Catarina (Simpesc), Albano Schmidt. O vice-presidente do Simpesc, Fernado Pedro Oliveira, um dos integrantes da comissão avaliativa do Prêmio, registrou uma mensagem aos participantes do evento no telão principal. Os jurados Luiz Henrique Hartmann (Sinplast) e Jaime Caneda (Simplás) também estiveram presentes no evento.

Em sua segunda edição, o Prêmio Plástico Sul é realizado exclusivamente através de inscrições de cases com valores sustentáveis e inovadores em 10 categorias. Os trabalhos foram avaliados de forma detalhada por sete jurados experientes na cadeia produtiva do plástico e no universo acadêmico, dentro de critérios estabelecidos pela empresa responsável pela pesquisa e curadoria do Prêmio, Maxiquim. Neste ano, a grande novidade foi abertura para participação de todas as empresas da cadeia produtiva: transformadores, fornecedores e indústrias de reciclagem. Após uma disputa acirrada nas apresentações dos cases, um time qualificado de jurados, deu suas notas e escolheu empresas vencedoras nas 10 categorias apresentadas.

O Prêmio Plástico Sul de Inovação e Sustentabilidade tem apoio da Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast), Associação Brasileira da Indústria de Embalagens Flexíveis (ABIEF), Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira de Biopolímeros Compostáveis e Compostagem (ABICOM), Plastivida, Instituto Brasileiro do PVC, Instituto Nacional do Plástico, Associação Brasileira dos Distribuidores de Resinas Plásticas e Afins (Adirplast), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás-RS), Sindicato das Indústrias de Material Plástico no Estado do Rio Grande do Sul (Sinplast-RS), Sindicato da Indústria de Material Plástico de Santa Catarina (Simpesc), Sindicato da Indústria de Material Plástico no Estado do Paraná (Simpep), Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Vale dos Vinhedos (Simplavi).

A premiação conta ainda com o patrocínio Diamante da Braskem e Clean Plastic; patrocínio Ouro ENTEC Polymers, Plastiweber e Grupo Wortex; e patrocínio Prata da Activas, Advanced Polymers, Aluminiplast, Cromex, Deink, GreenMaster, Mais Polímeros, Piramidal, Plasticor, Replas, Rulli Standard, Sicredi e Termocolor. O apoio especial deste ano é da Interplast 2022, Sebrae, Rocaal, Termotécnica e Therpol.

O Prêmio Plástico Sul de Inovação & Sustentabilidade é uma realização da Revista Plástico Sul. A Organização da edição de 2021 é do Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Nordeste Gaúcho (Simplás). As descrições dos cases vencedores poderá ser conferida nas edições posteriores da revista Plástico Sul, versões digital e impressa.

Conheça os vencedores:

Sustentabilidade

Produção Limpa:

1º lugar: CLEAN PLASTIC

2º lugar: UNIPAC

3º lugar: PLASTIWEBER

Logística Reversa:

1º lugar Transformador: TERMOTÉCNICA

1º Lugar Fornecedor: CROMEX

2º lugar: PROQUITEC

3º lugar: NILTEX

Compromisso Social:

1º lugar Transformador: CRISTALCOPO

1º lugar Fornecedor: PLASTIWEBER

2º lugar: TERMOCOLOR

3º lugar: BELLAFORMA

Conteúdo Reciclado:

1º lugar Indústria de Reciclagem: PLASTIWEBER

1º lugar Transformador: GRENDENE

1º lugar Fornecedor: PROQUITEC

2º lugar: DEINK

3º lugar: LORD

Novos aditivos ou biomateriais

1º lugar Fornecedor: RESBRASIL

1º lugar Transformador: TERMOTÉCNICA

2º lugar: ERT

3º lugar: COLORIFX

Gestão Sustentável

1º lugar Indústria de Reciclagem: JBS Ambiental

1º lugar Fornecedor: ACTIVAS

2º lugar:CROMEX

3º lugar: EMBAQUIM

Inovação

Embalagens Inteligentes:

1º lugar: UNIPAC

2º lugar: TERMOTÉCNICA

3º lugar: PLASZOM

Extrusão:

1º lugar: C-PACK

2º lugar: SULPET

3º lugar:  TELHAS TELITE

Sopro:

1º lugar: UNIPAC

2º lugar: EMBAQUIM

Injeção:

1º lugar: DZAINER

2º lugar: ACTIVAS

3º lugar: PROQUITEC

Registramos alguns momentos para você. Confira:

Melina Gonçalves, editora da Plástico Sul, dando as boas-vindas e realizando a abertura do evento
Vice-Prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris
Maurício Jaroski, da Maxiquim, empresa curadora do Prêmio
Gelson Oliveira, presidente do Simplás, entrega o troféu Compromisso Social Indústria de Reciclagem à Plastiweber
Entrega do Troféu Compromisso Social Transformador à Cristalcopo
Entrega do troféu à Plastiweber, vencedora em Produto com Conteúdo Reciclado - Indústria de Reciclagem
Entrega do troféu ao primeiro lugar em Produto com Conteúdo Reciclado - Fornecedor, à Proquitec
Fábio Koutchin, da Piramidal, entrega o troféu à Grendene, que ficou em 1º lugar em Produto com Conteúdo Reciclado Transformador
Wilson Cataldi, diretor da Piramidal, em participação online
Melina Gonçalves entrega o troféu da categoria Logística Reversa Fornecedor à Cromex
Albano Schmidt, Presidente da Termotécnica, recebe simbólicamente congratulação em sua participação online
Sr. Amilton Mainard, presidente da CSMAIP da Abimaq, entrega a congratulação à Clean Plastic, vencedora na categoria Produção Limpa
Luiz Henrique Hartmann, representando o Sinplast-RS, entrega o troféu de Gestão Sustentável Fornecedor à Activas
Hartmann entrega o troféu ao 1º lugar em Gestão Sustentável Indústria de Reciclagem à JBS Ambiental
Entrega simbólica à categoria Novos Aditivos ou Biomateriais de forma online à Resbrasil
Em Novos aditivos ou Biomateriais Transformador, Melina Gonçalves faz a entrega simbólica à Termotécnica
Paulo Pupo, da Braskem, anuncia de forma online o vencedor na categoria Embalagens Inteligentes, Unipac
Participações presenciais restritas e mantendo o distanciamento necessário, assistindo a Braskem anunciar o vencedor Unipac
Presidente da Adirplast entrega simbólicamente o troféu à C-Pack, pela conquinsta do 1º lugar em Inovação Extrusão
Diretor da Entec Polymers, Osvaldo Cruz, entrega o troféu da categoria Inovação Injeção à Dzainer
Diretor da Clean Plastic, Jadir Voltoline Júnior, entrega o troféu de forma simbólica à Unipac na categoria Inovação Sopro
CEO da Proquitec sorteia na roleta virtual os ganhadores das sandálias Therpol
Daniela Camargo, do Simplás, auxilia o diretor da Messe Brasil, Richard Spirandelli, a sortear as hospedagens para o período da Feira Interplast 2022
Tiago Zorzo, da Termocolor, girando a roleta para ver quem ganha o iPhone 12!
O ganhador do iPhone no telão!
Os vencedores de 2021 com as diretoras da Plástico Sul, Sílvia Viale e Melina Gonçalves
Representantes do Simplás, Sinplast e Plástico Sul, com a Vice-Prefeita de Caxias do Sul, Paula Ioris

E tem mais! Confira:

Prestes a ser inaugurada na cidade de Bebedouro (SP), a fábrica de pectina da Cargill conta com silos de compósitos em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro) fabricados pela Tecniplas. A pectina é um agente texturizante à base de frutas cítricas, e os silos fornecidos pela Tecniplas receberão as cascas de laranja que farão parte do processo produtivo desse insumo da indústria alimentícia.

Dos quatro maiores silos fornecidos para a Cargill, detalha Luís Gustavo Rossi, diretor da Tecniplas, dois têm diâmetro de 4.500 mm e dois de 5.000 mm. “A fabricação do fundo em formato retangular foi inédita para a Tecniplas e o maior desafio desse projeto. Por se tratar de uma peça única, desenvolvemos todos os moldes do zero”, explica. Ao todo, a Tecniplas produziu 18 equipamentos especiais diferentes para esse projeto.

Em outras plantas da Cargill ao redor do mundo, silos desse tipo são feitos de aço duplex, um tipo de liga metálica nobre. “Comprovamos para o cliente a adequação do PRFV, não só em relação à versatilidade de design como aos elevados níveis de resistência química e mecânica”.

Em média, equipamentos especiais como os silos respondem por 35% do faturamento da Tecniplas, líder brasileira em tanques de PRFV. Porém, há exceções, como no ano passado, quando as “especialidades” significaram mais de 60% do giro da empresa.

“Há certa estabilidade na demanda por equipamentos especiais. A procura aumenta, no entanto, quando surgem projetos baseados em processos industriais muito complexos, campo no qual o Brasil se destaca frente aos demais países da região”, conclui o diretor da Tecniplas.

A JBS Ambiental desenvolveu um processo que permite transformar plástico utilizado em produtos in natura embalados à vácuo em pisos intertravados, próprios para aplicação em ambientes externos, como pavimentação de pátios.
Para debater sobre essa tecnologia e outras ações relacionadas à economia circular, conversaremos HOJE, dia 12, a partir das 16h, com a diretora executiva da da JBS Ambiental, Susana Martins Carvalho e com o empresário e consultor Luiz Henrique Hartmann.

Para assistir o bate-papo acesse o nosso canal do youtube PLÁSTICO SUL TV ou através do link: https://lnkd.in/eTHq4qW2

O Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial, apurado pela Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil apresenta queda de 14% na comparação com o mês anterior no dado livre de efeitos sazonais. A mesma tendência ocorre na comparação com o mesmo mês do ano anterior - queda de 28,5%. No entanto, o saldo continua positivo quando se observa o acumulado de 12 meses, tendo crescimento de 6,1% no índice.

"Após cinco meses de crescimento com relação ao ano anterior, o índice de Atividade Industrial apresentou queda em julho. Esse resultado mostra uma redução no ritmo da retomada na intenção de lançamento de produtos, mas não anula os ganhos obtidos em 2021, tendo o período acumulado 7,9% de crescimento", comenta Virginia Vaamonde, CEO da Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, sobre o período de janeiro a julho deste ano.

Resultado setorial

Resultados por regiões

Entenda o Índice GS1
Índice antecedente de produção industrial que mede a intenção de lançamento de produtos no Brasil, por meio dos pedidos de códigos barras pelas empresas.

• ORIGINAL - dado bruto reflete as solicitações de GTIN mês a mês.

• DESSAZONALIZADO - série livre de efeito sazonal, exclui efeitos típicos de meses específicos e permite uma avaliação mais intuitiva de tendência do crescimento da série entre os meses (ex. comportamento histórico de aumento de pedidos por conta de datas comemorativas).
• O Índice GS1 Brasil de Atividade Industrial será divulgado:
o Todo 1º dia útil do mês
o Primeiro indicador antecedente de Indústria a ser divulgado
o Poder explicativo adicional - não direto - com significância estatística
o Relacionado com Inovação - portfólio de produtos das empresas
o Setores relacionados com CNAE - Divisão 10 a 33
o Número Índice (Base: média de 2012 = 100)

Sobre a Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil
A Associação Brasileira de Automação-GS1 Brasil, é uma organização multissetorial sem fins lucrativos que representa nacionalmente a GS1 Global. A entidade conta com cerca de 58 mil associados que representam 31% do PIB nacional e 18% dos empregos formais. Em todo o mundo, a GS1 é responsável pelo padrão global de identificação de produtos e serviços (Código de Barras e EPC/RFID) e comunicação (EDI e GDSN) na cadeia de suprimentos. Além de estabelecer padrões de identificação de produtos e comunicação, a associação oferece serviços e soluções para as áreas de varejo, saúde, transporte e logística. Mais informações em https://www.gs1br.org .

A TOMRA Recycling, fabricante líder global de sistemas de seleção baseados em sensores, está celebrando esse ano o 10º aniversário no mercado brasileiro. A data celebra as muitas conquistas obtidas no mercado brasileiro, que permitiu a abertura do mercado local, no entanto objetivo passa por olhar para o futuro e continuar crescendo no mercado com as tecnologias da TOMRA em mais plantas de reciclagem.

Para Carina Arita, Diretora Comercial da TOMRA Recycling Brasil, “são 10 anos realmente de um desenvolvimento de mercado completamente novo, período de divulgação das soluções e eficiências possíveis com as tecnologias de ponta para a Triagem e Seleção de Recicláveis baseada em sensores que a TOMRA desenvolve”.

Carina Arita recorda os tempos quando a TOMRA Recycling chegou pela primeira vez ao mercado brasileiro: “quando iniciamos muitos nunca tinham ouvido e muitos se surpreendiam com o que a nossa tecnologia é capaz, nós fizemos um grande trabalho com os diversos envolvidos no nosso segmento e hoje já vemos o conceito sendo mais amplamente conhecido e discutido. Os projetos também foram evoluindo de soluções bem simples para mais completas e mais complexas”.

10 anos depois

10 anos depois da chegada, a TOMRA Recycling já se instalou totalmente no mercado brasileiro e é hoje um key-player no mercado nacional. Prova disso são as máquinas já instaladas e em operação nas plantas. “Nós realmente mergulhamos na realidade Brasileira, seja nas questões sociais, econômias e culturais e desenvolvemos para o mercado brasileiro soluções que consideram as tecnologias mais avançadas como a seleção baseadas em sensores combinadas com processos manuais importantes completando um ao outro, visando o equilibrio entre eles e a eficiência que o segmento necessita”, explica a responsável da TOMRA.

Dentro do portfólio da TOMRA, no Brasil as máquinas mais vendidas estão totalmente identificadas: o AUTOSORT® para a seleção de garrafas e embalagens recicláveis como PET, PEAD, PP, PVC, garrafa acartonada de bebida, papel, papelão e todos os tipos de plásticos, o AUTOSORT® FLAKE e INNOSORT FLAKE para a purificação de flakes de plásticos (PET e PO) durante o processo da reciclagem. No Brasil, marcamos presença em 25 plantas que realizam valorização de materiais recicláveis ou instalações que efetivamente realizam a reciclagem dos plásticos

Com um mercado cada vez mais exigente, a demanda interna e externa procura cada vez mais a qualidade e a pureza, e é isso que a TOMRA tem para oferecer, de forma a posicionar os nossos clientes com uma qualidade superior. Carina Arita sublinha que “além da nossa atuação direta, temos um papel consultivo importante e somos sempre procurados por aqueles que buscam entender a percepção holística das questões relacionadas aos resíduos, seja por associações de indústrias que utilizam o plástico buscando a visão macro do mercado de resíduos, seja a situação inversa, bem como muitos desenvolvendo o olhar da Economia Circular, observando de forma completa as etapas de toda a cadeia. Muitos buscando parcerias e realmente se envolvendo para promover resultados consistentes de valorização dos materiais descartados que devem retornar para a cadeia reduzindo impactos e reduzindo a pegada de carbono.

Próximos 10 anos com o objetivo muito definido

A filial brasileira da TOMRA Recycling destaca-se pela forte presença que tem no mercado, mas acima de tudo pelo papel preponderante que tem nos clientes e nos seus potenciais. A responsável da filial brasileira explica que “enquanto os nossos concorrentes trabalham com agentes/representantes comerciais, a TOMRA conta com toda a infraestrutura de atendimento, desde etapa conceitual, projeto, venda e pós venda com especialistas técnicos experientes e peças de reposição, que facilita muito o dia a dias dos nossos clientes, dado que conseguimos mitigar rapidamente qualquer problema”.

Para os próximos 10 anos o objetivo está bem definido. Para Carina Arita, “considerando o potencial do mercado brasileiro, daqui a 10 anos a filial brasileira tem possibilidade de estar entre os 5 maiores mercados da TOMRA mundialmente”.

“Nosso principal objetivo é fornecer soluções de seleção baseada em sensores com tecnologia de ponta atualizada, eficiente e adequada para o mercado brasileiro promovendo a valorização dos recursos naturais contidos em materiais recicláveis e portanto gerando novos ciclos de vida para os materiais, mantendo-os produtivos e evitando novas extrações. Para isso, a visão de curto prazo é que continuaremos atuando ativamente para demonstrar para o mercado soluções possíveis e adequadas, analisando benefícios e impacto para a sociedade e as empresas, a fim de impulsionar o mercado brasileiro para que ele efetivamente cresça de acordo com o seu potencial. E a médio e longo prazo vamos investir e trabalhar com a ambição de líderar a revolução de recursos naturais, criando e fornecendo soluções baseadas em sensores para otimizar a produtividade dos recursos, desde obtenção, uso, gestão, recuperação, reciclagem e revitalização deles”, conclui Carina Arita.

Novo Diretor para as Américas

E para reforçar ainda mais o papel preponderante da TOMRA Recycling, foi nomeado recentemente um novo Diretor para as Américas, que vai trabalha em estreita colaboração com a filial brasileira para ajudar a atingir os objetivos propostos.

Ty Rhoad foi anunciado como o novo Diretor Regional para as Américas, substituindo Carlos Manchado Atienza. Oferecendo significativa experiência em operações e vendas, Rhoad liderará as equipes comercial, serviços e gerenciamento de projetos na América do Sul e do Norte. Ele também se envolverá em atividades de desenvolvimento de negócios para as soluções de seleção ótica da empresa, ajudando os clientes a atingir as metas de pureza e produtividade, oferecendo soluções personalizadas em vários setores, incluindo resíduos, plásticos e metais.

Seu histórico na indústria de resíduos inclui trabalhar com ONM Environmental Products and Services - uma empresa líder em produtos, sistemas e serviços de qualidade do ar industrial - e Rehrig Pacific Company - a líder da indústria em contentores de resíduos e reciclagem e soluções de cadeia de abastecimento. Enquanto estava na Rehrig, ele se destacou em vendas e, mais recentemente, liderou a equipe comercial da empresa na América do Norte como diretor comercial. A missão de Rhoad na TOMRA é ajudar a aprimorar as capacidades e a estrutura geral do sistema de reciclagem atual.

“Ao longo dos anos, desenvolvi uma paixão pela reciclagem e pelo negócio. O que torna esse setor tão especial são os contatos que vão além das relações empresariais para as amizades. A TOMRA está na vanguarda da economia circular trabalhando para fechar o ciclo e vejo um enorme potencial de crescimento para nossas tecnologias de seleção líderes do setor nas Américas ”, disse Rhoad. “Nossa equipe comercial oferece ampla seleção de tecnologia de seleção e experiência em aplicações, o que permite à TOMRA fazer parceria com os clientes do início ao fim com o objetivo de atingir as metas de pureza e capacidade de processamento. Apoiando os clientes além da venda, nossa equipe de serviço trabalha diretamente com os clientes para garantir que os equipamentos estejam funcionando com eficiência otimizada. ”

Assine a nossa Newsletter:

Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!
Criação de sites: Conectado
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram